Internacionalização de empresas

As modificações na estrutura comercial mundial trouxeram à tona novas possibilidades de expansão para a empresas brasileiras. A principal delas é a internacionalização que vem ocorrendo com grande intensidade desde a década de 90.

Internacionalização de empresas é um conceito que trata da expansão da empresa através do contato com o exterior. Essa expansão se dá por duas formas principais que são: atender a mercados externos através de exportações e investir diretamente no exterior, por meio de instalação de representações comerciais ou unidades produtivas. Além disso, há também a possibilidade de internacionalizar através da busca de parceiros em outros países, que possam gerar projetos de cooperação e transferência de capital.

Mas quais são as vantagens de se internacionalizar e de exportar? As vantagens são muitas e abrangem todos os setores!

          Uma das maiores vantagens oferecidas a quem exporta é a redução da carga tributária, desta forma a empresa pode compensar o pagamento de tributação interna por meio da exportação. Os produtos a serem comercializados no exterior não sofrem cobrança dos seguintes impostos em sua receita: IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social), PIS (Programa de Integração Social), PASEP (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público), IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e ICMS ( Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços). No entanto micro e pequenas empresas quando enquadradas no Sistema Simplificado de Tributação, não possuem estes benefícios.

          Em relação às vendas, as vantagens se dão na diversificação de mercado, deste modo a empresa não depende tanto das vendas internas, proporcionando maior segurança em relação às oscilações na demanda. Mercado no exterior também significa diferentes climas ou estações, dessa maneira as vendas sazonais (que dependem das estações do ano) podem ser compensadas focando a produção para outros países.

          Por fim, ao tomar a decisão de se internacionalizar, a empresa cria uma imagem de exportadora, benéfica, pois da aos clientes e fornecedores maior segurança em relação aos seus produtos e serviços (padrões de exportação podem ser altos, logo, o serviço ou produto deve ser de qualidade).

Primeiramente para exportar, precisa-se aumentar a escala de produção, para atender tanto o mercado que se tem quanto o que está por vir, desta forma utiliza-se a capacidade de produção ociosa da empresa, diluindo os custos fixos e barateando a mercadoria. Ainda no aspecto da produção, a exportação exige do produto maior qualidade de embalagem e conteúdo e padronização (tamanho, peso, quantidade) mais exata, o que leva ao aperfeiçoamento dos processos produtivos, tornando o produto mais competitivo.

Além disso, o empresário deve adotar alguns procedimentos técnicos. A empresa precisa, inicialmente, solicitar o seu cadastramento no Registro de Exportadores e Importadores (REI) da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX). O próximo passo é contatar a representação da Secretaria da Receita Federal, na jurisdição da empresa, a fim de obter senha de acesso ao SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR – SISCOMEX.

A preparação dos documentos que deverão ser remetidos ao importador, deverá obedecer às exigências feitas pelo país importador. Essas informações devem ser passadas pelo importador durante a negociação, porém, o exportador deve também pesquisar as exigências especificas de cada país por conta própria, para evitar surpresas desagradáveis, que podem ser desde a rejeição a certo tipo de embalagem até a necessidade de uma determinada certificação.

É necessário, entretanto, não só conhecer as exigências técnicas de cada país, mas também sua cultura, a maneira que os empresários costumam negociar, lembrando que esta negociação deverá ser feita preferencialmente em inglês, ou no idioma do importador.

A concretização da operação acontece a partir do momento em que o importador aceita os termos da negociação apresentados pelo exportador na fatura pro forma. Neste documento estarão estabelecidas as condições da negociação: a modalidade de pagamento, a condição de venda (Incoterm), o prazo para entrega da mercadoria são alguns dos itens a serem definidos.

Existem alguns órgãos de apoio ao exportador, que podem ser de grande ajuda para as empresas que têm interesse em se internacionalizar. Porém, se a sua empresa não possui um setor específico para cuidar dos assuntos de exportação, pode ser o caso de contratar uma trading ou os serviços de uma consultoria.


Sites úteis:

Receita Federal

Brasil global net

Aprendendo a exportar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s